sábado, 4 de agosto de 2018

Roda de Conversa sobre o "Comprometimento do trabalhador no Centro Espírita"

Q. 559 do O L.E: Também desempenham função útil no Universo os Espíritos inferiores e imperfeitos?
 “Todos têm deveres a cumprir. Para a construção de um edifício, não concorre tanto o último dos serventes de pedreiro, como o arquiteto?”

Fomos chamados para o trabalho, uns mais cedo outros mais tarde, mas  mais importante do quando se começou é como se está fazendo. “Vós sois o sal da Terra”, nos disse Jesus em (Mateus 5,13), então quer dizer, nós é quem vamos qualificar o trabalho que está sendo feito pela casa espírita. Se não estivermos bem conscientizados do nosso papel  e das nossas responsabilidades diante da obra de regeneração da humanidade, corremos o risco de sermos maus servidores e comprometermos a tarefa para a qual tivemos o privilégio de sermos chamados.  Na mesma passagem Jesus nos diz que “se o sal for insípido, com que se há de se salgar? Para nada mais presta senão para se lançar fora e ser pisado pelos homens”, e, não é à toa que na Parábola dos Trabalhadores da Última Hora O Senhor das terras dá o mesmo salário ao que começou antes e ao que iniciou o  trabalho no final da tarde, nos ensinando que todo aquele que trabalha de boa vontade é digno do salário, independentemente de quando o começou, mas a questão primordial é: Como estou fazendo o meu trabalho?
Esse assunto merece a nossa reflexão, afinal de contas, quem gostaria de ter que recomeçar uma tarefa porque ela não foi bem feita?
Convidamos todos os trabalhadores das casas espíritas da 1ª URE para virem participar da roda de conversa que terá como questão principal a ser debatida o comprometimento do trabalhador do CE. Sem dúvida que esse é um tema de interesse de todo trabalhador da última hora.

Nenhum comentário:

Postar um comentário