sábado, 20 de dezembro de 2014

Relatório do CFR de Novembro 2014 realizado na SEEDE

O Conselho Federativo Regional, formado pelos presidentes das casas espíritas, da região, é o órgão deliberativo responsável pelo planejamento de todas as atividades, executadas pelas equipes das URE’s, buscando a integração, a união, a harmonia, o alinhamento doutrinário, a troca de experiências, seja através do estudo, das exposições doutrinárias, dos cursos e seminários, da literatura, da arte espírita, enfim, objetivando o trabalho finalístico do ser espiritual. As Uniões Regionais são uma extensão da Federação Espírita.

No dia 1º/11, das 09h às 12h, na SEEDE - Seara Espírita Entreposto da Fé, no Bairro Monte Verde, em Florianópolis, aconteceu a última reunião, CFR, de 2014, da 1ª URE.
Roberto leu mensagem do livro “Sinal Verde”, Modos Desagradáveis’ e João Batista (SEEDE) cantou uma belíssima música, proferindo a prece inicial.

Participaram da Reunião:

Equipe da 1ª URE: Paulo Azevedo (Presidente da 1ª URE e IECC); Mª Elisabete F. Corrêa (Secretária da 1ª URE e presidente da CEJL); Magna Luz (Coordenadora do Deptº da Mediunidade); Sérgio E. Almeida (Coordenador do Deptº de Assistência e Promoção Social); Dauto dos Reis Pires (Coordenador do GIEE Sul); Adolfo Oblonczyk (Coordenador do Deptº da Família, Infância e Juventude); Jorge Peres (Adjunto do Deptº Doutrinário); Mª Cristina Mesquita (Coordenadora do Deptº Doutrinário); Ilani de Assis Nunes (Assessora do Deptº do livro); Mônica Scofano (Coordenadora do GIEE/Norte e Presidente do CECAL); José Sartori Burger (Coordenador do Deptº de Esperanto e representante da SEAF); José Carlos Pinheiro (Coordenador do GIEE/Centro e representante do CELC); Roberto Valmorbida (2º secretário e representante do CEIE);
Presidentes e/ou Representantes: Carlos Aldir Webler Rabello (Presidente da AEFC); Ogê Francisco (Presidente do CEAHA); Edson Giamarusti (Presidente do CEUF); Valmor (Vice-presidente do CEUF); Zeferino P. Sachet (Presidente da SEEDE); Ludgero Sengert (Vice-presidente da SEEDE); Marcelo Célio (Depto Doutrinário da SEEDE); Mario Borges (SEEDE); Hercílio Teske (Tesoureiro e representante da SEOVE); Ana Paula Grzybowski (Deptº Social do CECAL); Luciano P. Wagner (ICEF).
A seguir, foi distribuído um livreto (kit) contendo os seguintes documentos:
Programa de Capacitação Federativa Integrado (disponível no site da FEC):
Objetivo: Capacitar continuadamente os membros dos Órgãos de Unificação de SC, visando à efetiva integração dos mesmos no Planejamento e Ações Federativas, possibilitando maior eficiência no atendimento das demandas das áreas finalísticas.
Proposta Sustentabilidade Integrada (disponível no site da FEC):
Objetivos: Integração Federativa, Estudo Continuado e Sustentabilidade.
A Vice Presidência de Finanças mostra o orçamento da FEC no biênio 2014-2015 (disponível no site da FEC):
Calendário de  Eventos da FEC para o ano de 2015, (disponível no site da FEC):
Plano de Trabalho (1ª URE), contendo os objetivos dos departamentos para o biênio 2015/2017. (Estará disponível no site da 1ª URE)

Síntese das Discussões:
Roberto explica sobre os objetivos da Distribuidora de Livros da FEC: Sendo a principal fonte de renda, oferece 40% de desconto para as casas espíritas filiadas.
Para colaborar com a FEC, fica como sugestão para as Casas Espiritas que já tem um aporte financeiro fixo, diminuir o preço de venda dos livros espíritas nas livrarias, facilitando a aquisição pelos frequentadores, incentivando a leitura e o estudo.
O Deptº do Livro, da 1ª URE, sempre que possível, e, respeitando a posição da Casa anfitriã, leva aos eventos, patrocinados pelos três GIEE’s, uma quantidade de livros sobre o tema abordado, os quais são oferecidos pela FEC, em consignação, com 40% de desconto, para venda a preço de custo,

Cristina Mesquita (Deptº Doutrinário) reforça a solicitação de maior atenção quanto aos expositores, tempo de duração das palestras, prece de abertura e encerramento.
Sugere que, cada casa defina o melhor tempo de acordo com o seu público, com as suas características, avaliando as palestras e sugerindo novos nomes de palestrantes, com conhecimento doutrinário e postura coerente, respeitando os temas estabelecidos pela 1ª URE.

Debate e Sugestões:

Adolfo e Hercílio Teske: A leitura de uma mensagem, antes da prece de abertura e, vários avisos aos trabalhadores e ao público em geral, tomam, às vezes, até 15 minutos, diminuindo o tempo do palestrante.
Marcelo (SEEDE): Um contato, fraterno, com os dirigentes, contribuiria para a diminuição destes episódios, pois antigamente era assim que se procedia.
Sérgio (DAPSE) “Tema Livre”, Esta prática precisa ser revista, deve haver um acompanhamento para adequar a duração da exposição ao tema proposto. Segundo apregoava Kardec “Não devemos empregar rigidez excessiva no aspecto tempo, e sim conhecer o seu público para que o conteúdo a ser transmitido possa ser bem assimilado pelas pessoas.” Bom senso, sempre!
Edson (CEUF) Alguns palestrantes decidem fazer a palestra com tema diverso daquele que foi originalmente proposto, apesar de constar na escala o tema da exposição.
Hercílio Teske, pergunta: A 1ª URE tem um trabalho de “feedback” em relação aos expositores? Muitas vezes, o expositor não tem consciência da forma inadequada que vêm se comportando. E afirma: O expositor, na verdade, também é um aprendiz! Assim, sugere aos dirigentes das Casas que, logo após as palestras, falem com o expositor, dando a ele o retorno sobre a sua fala, apontando os pontos positivos e, se houver, com muito tato, os pontos negativos que possam ser trabalhados.
Paulo Azevedo relembrou que a URE tem realizado cursos específicos para formação e aperfeiçoamento de expositores.
Magna, divulga o próximo evento, promovido pelo GIEE Centro, dia 22 de Novembro, sobre “O Expositor Espírita”, no CEAK.

Luciano (ICEF) Antes de iniciar a sua exposição sobre “O Trabalhador Voluntário Espírita”. fala das eleições para eleger as diretorias das URE’s e explica os passos, na sequência ideal, de como votar, via e-mail.

Síntese da Apresentação:
Luciano explica que o projeto poderá ser apresentado nas casas espíritas, caso seja solicitado pelos dirigentes, respeitando o tempo estabelecido.
Expõe, fazendo referência às nossas fragilidades, sugerindo tópicos que poderão ser trabalhados, tais como:
Como cheguei a Casa Espírita? Por que me tornei voluntário? O que é ser trabalhador voluntário espírita? Qual a diferença entre o voluntário e o dirigente? Quem são os espíritas? Como estamos enxergando os nossos companheiros de jornada? O que valorizamos nas pessoas, títulos ou qualidades? Qual a diferença entre ser líder e exercer a liderança? Devemos determinar ou exemplificar? O conflito é construtivo? Sendo o Centro Espírita uma escola, como devemos agir? Qual o valor da crítica construtiva? Cooperar é mais importante do que competir? Somos irmãos, ou concorrentes? A Quem Servimos? E, outros...

Magna fala das reuniões de planejamento e avaliações, que serão realizadas dos três GIEE’s e solicita a presença dos presidentes e seus coordenadores, para que possam contribuir com sugestões.
 29/11 reunião de avaliação do GIEE Centro, na CEJL.
05/12 reunião do GIEE Sul, na CEAC.

Adolfo (DEFIJ) divulga eventos:
Concerto Espírita da Primavera, realizado a cada dois anos, objetivando divulgar a música espírita para a comunidade em geral, integrar os artistas espíritas e produzir novidades.
Oficina de produção musical, na SEEDE, com músicos do RJ, Paraná e ES, à noite: TAC, Teatro Álvaro de Carvalho, oficina de arte espírita na SEEDE.
Palavra dos presidentes e/ou representantes, coordenadores e diretores, para sugestões, correções, reinvindicações, consenso, alinhamento doutrinário.
Ogê (CEAHA) relata a importância da função “Recepção e Acolhimento” nos Centros Espíritas e a necessidade de investirmos nesta área.
Paulo Azevedo lembrou que a 1ª URE realizou curso sobre este tema através do GIEE Norte, com a expositora Silvana Santos (CEAHA).
Sérgio (CEFECJ): Devemos difundir a doutrina espírita para o maior número de pessoas possível. Estarmos prontos para auxiliar, apoiar, fortalecer os pequenos grupos de estudos que se formam, a fim de que não venham a constituir casas espíritas desvinculadas da FEC, com outras inclinações.
Hercílio Teske: O Evangelho no Lar é importantíssimo para o aperfeiçoamento do ser e um protótipo de Centro Espírita”;

Paulo Ferreira (Coordenador da AEUP) distribuiu cartazes sobre o curso de capacitação, formação para voluntários, visitação aos apenados nas penitenciárias.
Carlos Aldir (AEFC) com 30 anos de experiência, diz: “A experiência é fantástica e nós ganhamos muito mais do que eles neste trabalho. A satisfação pessoal, o carinho e a amizade daqueles irmãos que se encontram apenados é maravilhosa”.
No presídio feminino até hoje é feito o Culto do Evangelho no Lar, ininterruptamente.
A capacitação será realizada na Casa do Caminho, IECC, Ingleses, sábado à tarde, dia 08/11.
Paulo Azevedo reiterou a necessidade de nos esforçarmos em conseguir, entre os nossos trabalhadores, voluntários que possam se dedicar a tão relevante tarefa, pois de oito unidades prisionais apenas três estão sendo visitadas.
Magna falou sobre o serviço assistencial no Hospital Universitário (HU).

Elisabete (Secretária da URE) agradeceu a todos:
Equipe da 1ª URE, presidentes, coordenadores e diretores de deptos, pelo apoio, confiança, respostas às solicitações da secretaria, que permitem as atualizações cadastrais e a divulgação dos eventos.
Em especial, a Jesus, pela oportunidade de trabalho na Causa do Bem.
Ao irmão Zeferino, assim como a todos os presidentes, pela acolhida, cedendo o espaço para as reuniões, momento de confraternização, sugestões, lanche fraterno, proporcionando o dialogo e a integração da família Espírita da Grande Florianópolis.

Frisou, com alegria e sensação do dever cumprido, que estávamos completando a 23ª visita, através das reuniões ordinárias da equipe URE, graças ao apoio de todos os presidentes, concretizando um antigo sonho do CRE 1, hoje, 1ª União Regional Espírita, na realização da aproximação e da integração da família Espírita.

Paulo Azevedo, explicou que, visando à eleição para a presidência da 1ª URE, apenas uma chapa foi inscrita, a da situação, e que a intenção é dar continuidade ao trabalho que está sendo realizado com as adequações necessárias para melhor atender as necessidades.

Zeferino (Presidente da SEEDE) com muita alegria disse:
Estou feliz em participar da assembleia e gostaria de participar mais, porém, o trabalho na Instituição me absorve por inteiro, devido ao zelo com que executo as tarefas diárias.
A função de dirigente de uma Casa Espírita é importantíssima, considerando a responsabilidade que o dirigente e os trabalhadores devem ter quando aceitam ou se propõem a realizar um trabalho voluntário. Finalizou desejando sucesso na empreitada que abraçamos.

Ludgero (vice-presidente da SEEDE) proferiu a prece final.

Paulo Azevedo agradeceu a presença de todos e, Zeferino (anfitrião), numa atitude fraterna sugeriu que nos abraçássemos. Assim, em um ambiente de muita paz, harmonia e congraçamento entre todos os presentes, amparados pelo Mestre Jesus a reunião foi encerrada.

Mª Elisabete Feliciano Corrêa
www.ure1.com.br











Nenhum comentário:

Postar um comentário