quarta-feira, 10 de setembro de 2014

Uma reflexão sobre nossas ações no movimento espírita

Na manhã de 6 de setembro, foi realizado o seminário "Os espíritas e a formação do Brasil como pátria do evangelho" com coordenação de Gerson Tavares.

Gerson abordou sobre a importância do momento de transição planetária, nos levando a refletir sobre nossas ações no movimento Espírita. Com a prudência de um bom dialogador, abordou sobre a dicotomia entre egoísmo e altruísmo - que o egoísmo é retroalimentado pelo materialismo, sendo que o amor nutre o comportamento altruísta.

Relembrou a máxima de Kardec: "Reconhece-se o verdadeiro Espírita pela transformação moral e pelos esforços que empreende por dominar as más inclinações". 

Destacou o nosso "devir", o nosso "vir a ser" na perspectiva espírita de evolução, necessitando do autoconhecimento, através do qual construiremos a harmonia do eixo Ego-Self.

O mal é a ausência de paz, e se constitui desafio pagar o mal com o bem, porque o ego ditador nos orienta à mágoa, ressentimento, ódio, enquanto que o bem sugere compreensão e perdão. Como somos seres ainda imperfeitos, necessário permanente reflexão sobre nossa conduta pessoal em face do compromisso de inadiável transformação moral.”


Por essas e outras razões Gerson atraiu nossa atenção, nos fornecendo subsídios para operarmos a renovação de nossas atitudes como assevera o mentor da Associação Espírita Núcleo Fraterno, Adolfo Bezerra de Menezes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário