terça-feira, 10 de junho de 2014

Diferentes Abordagens no Diálogo com os Espíritos

Na manhã do sábado 31 de maio do corrente ano, o Grupo Integrado de Estudos Espíritas, GIEE-sul, realizou seminário na área da mediunidade. O evento teve lugar nas instalações do Centro Espírita Albano Metelo, CEAM, na Sociedade Espírita Obreiros da Vida Eterna, SEOVE.

O confrade Osvaldo Brascher foi o condutor do evento. Osvaldo trabalha em reuniões mediúnicas há 30 anos, tendo iniciado seu aprendizado como sustentador na SEOVE e posteriormente doutrinador no ICEF Florianópolis. Há quatro anos é diretor de reunião mediúnica no Centro Espírita Allan Kardec, em Imbituba-SC.
Com o tema “Diferentes Abordagens no Diálogo com os Espíritos”, o seminário tratou de questões como o passe, a regressão de memória, a ideoplastia e a oração no atendimento ao desencarnado.

A condução foi feita de forma interativa, dialogada, aproveitando a experiência do público, apoiada numa profunda pesquisa bibliográfica e no amplo conhecimento e experiência do palestrante.

Osvaldo trouxe 15 casos selecionados na bibliografia espírita, como também em sua atividade na área.
Os 15 casos, trechos de diálogos com espíritos, foram distribuídos a 15 duplas, entre as pessoas presentes, espíritas trabalhadores da área da mediunidade. Com isso pelo menos 30 pessoas do público já estavam chamadas ao diálogo com o expositor e com o grupo. Durante as análises que se seguiam caso a caso, as demais pessoas também contribuíam com sua experiência, questionamentos, e conclusões.

Tendo como ponto de partida as colocações do público, sua experiência, sua vivência, os conteúdos teóricos eram trazidos. No debate surgiram referências aos recursos do passe, da ideoplastia e da oração no atendimento ao desencarnado. Osvaldo acrescentou também o recurso da regressão de memória citando bibliografia e brindando os presentes com o relato de sua experiência no uso desse recurso.

Utilizando bibliografia de Allan Kardec, Revista Reformador da FEB, André Luiz, entre outros, conduziu o público na análise das orientações relativas aos objetivos e fases do atendimento ao desencarnado, e introduziu os conceitos de “fase ambulatorial na doutrinação” e “homogeneidade de sentimentos nobres” como fator de exercitação da reforma íntima na reunião mediúnica, ainda não explicitados na bibliografia espírita atual.

Para o público presente foi uma grata oportunidade de convivência e aprendizado. “Muito bom, muito esclarecedor para a função que exerço”, se escutava tanto de médiuns quanto de dialogadores ao término do evento.

Carmem Avellar – adjunta do GIEE-sul



Nenhum comentário:

Postar um comentário